#leituraspartilhadas136

“Certa manhã ao acordar depois de sonhos agitados Gregor Samsa viu-se na sua cama metamorfoseado num monstruoso inseto”

É deste modo que começa esta obra de Franz Kafka que trata de um homem que acorda transformado num inseto o que faz com que a sua família, no primeiro momento, sinta medo. No segundo, aceita-o, mas esconde-o do mundo. Já no terceiro, odeia-o, vê-o como um peso desnecessário e quer livrar-se dele. 

Esta obra faz-nos pensar sobre o abandono e o desprezo que é sofrido por pessoas que se tornam deficientes e que antes eram tratadas como um pilar estrutural na família e por se tornarem incapazes deixam de ser vistas como família e até como humanos. 

Simão (9.º ano)

#leituraspartilhadas135

Na escola há uma iniciativa de promoção da leitura chamada “10 minutos a ler”, em que, todos os dias, lemos um pouco. O livro que eu li foi “No Final Morrem os Dois”, do autor Adam Silvera.

 O livro aborda temas como a diversidade e a homossexualidade. Nesta história, temos várias personagens secundárias, mas as principais são Rufus e Mateo que não se conhecem. Neste livro existe o que é chamado a “Previsão-de-morte” que avisa a pessoa que a sua vida acaba em 24 horas. Os dois protagonistas recebem, ao mesmo tempo, a notícia de que vão morrer dentro de 24 horas e ambos querem alguém que esteja na mesma situação para poderem passar o último dia. Para isso, existe a aplicação chamada “Último Amigo” através da qual os dois se encontram e vivem o último dia juntos. Acabam por se apaixonar e viver um amor incrível. Ambos têm coisas para resolver no seu último dia e, assim, ajudam-se mutuamente para acabar o último dia em grande.

Pessoalmente, amei o livro que me prendeu do início ao fim. A leitura é muito fácil e mostra sempre o que cada personagem pensa e sente. Outra coisa incrível são as frases que este livro contém, das quais, entre muitas outras, destaco “Sem morte, Não há vida. Sem perda, Não há amor”, “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maior parte das pessoas limita-se a existir” e ”Por isso não esperem demasiado tempo para serem quem querem ser- os ponteiros do relógio continuam a avançar”.

Lê este livro, pois tenho a certeza de que se vai tornar o teu livro favorito.

Didiana (9.º ano)

#leituraspartilhadas134

Um dos livros que eu li nos “10 minutos a ler” foi “A minha vida fora de série”, escrito por Paula Pimenta, uma escritora brasileira. Esta obra faz parte de uma coleção de quatro livros.

O livro fala sobre uma adolescente, chamada Priscila, que vivia em São Paulo com os pais, o irmão e com os seus animais de estimação.

Um dia tudo mudou: os pais separaram-se e Priscila ficou com a mãe, ou seja, as duas vão mudar-se para Belo Horizonte. Priscila encara esta mudança como a pior fase da sua vida, pois, para uma adolescente de treze anos, recomeçar tudo de novo, fazer novas amizades e adaptar-se à nova cidade não é fácil. Por outro lado, Priscila pensa nas coisas boas que essa mudança pode ter, ela vai poder fazer novas amizades, conhecer uma nova cidade, até mesmo um primeiro amor… Depois de algum tempo na nova cidade, Priscila começa a ter mais confiança em si e ela própria se apercebe que o importante é conhecer-se a si própria.

Em suma, recomendo este livro a todas as pessoas que gostam de um romance clichê e a quem está a entrar na fase da adolescência.

Uma das minhas frases favorita deste livro é “O amor é um sentimento lindo, quando recíproco.” (pag.70) E, para concluir, o que mais me deu prazer ao ler este livro foi a maneira como Priscila amadureceu.  Eu gostei tanto deste livro que já estou à procura do segundo livro desta coleção.

Maria (9.º ano)

#leituraspartilhadas133

Escolhi escrever sobre o livro “Filhos de Montepó”, porque é o livro que acabei de ler.

António Mota é um autor que aprecio pela escrita de fácil compreensão, de simples leitura e pelo detalhe que usa na descrição dos momentos e dos sentimentos que transmite. Faz-me sentir como se estivesse no local a viver o momento e as sensações fossem reais. Já li sete livros deste autor e gostei bastante.

Este livro fala das dificuldades vividas e sentidas por uma familia humilde que vivia numa pequena aldeia sem acesso ao desenvolvimento que naquela altura começava a despontar em grande parte de Portugal.

Embora o Abílio, a personagem principal, manifestasse vontade de evoluir, as oportunidades naquela aldeia eram muito poucas e a mentalidade da população era ainda muito antiquada. Gostei de ler este livro tal como outros do mesmo autor.

Rafaela (9.º ano)

#leituraspartilhadas132

O meu livro do projeto “10 Minutos a Ler” intitula-se “O Meu Amigo de Outro Mundo”, escrito pela escritora Ross Montgomery.

É muito um livro interessante! Fala-se de uma rapariga, Caitlin, que vivia numa ilha com os pais, o que não lhe conquistou grandes vantagens. O seu único amigo era Frank, um senhor que a levava de barco para a escola. Os pais andavam sempre ocupados. Um dia, durante uma chuva de meteoros, Caitlin encontrou uma criatura indefesa debaixo de uma rocha e viu o extraterrestre como um potencial amigo. Catlin dá-lhe o nome de Pigmeu e ensinou-o a falar.

Na minha opinião, é uma história bonita, inocente e cheia de episódios surpreendentes, capaz de cativar leitores de todas as idades. Simples, divertida e, nos momentos certos, comovente. Uma boa leitura!

Ricardo (8.º ano)

Conta-me uma pintura!

Levando em consideração o preconizado no PADDE, no Plano 21|23 e na Missão das Bibliotecas Escolares, ao longo deste ano letivo, as turmas do 4.º ano das escolas de Apúlia, Facho, Fão e Fonte Boa, numa iniciativa interescolas, desenvolveram a atividade “Conta-me uma pintura!”, assente no referencial Aprender com a Biblioteca Escolar.

Esta atividade teve como objetivo a criação de narrativas escritas e visuais inspiradas em obras de arte, proporcionando aos alunos a possibilidade de desenvolver o sentido de colaboração; o sentido estético; a comunicação e a cidadania, em simultâneo com o desenvolvimento das literacias da informação e digital, para além de conhecer nomes relevantes da pintura.

Os alunos tiveram ainda a oportunidade de utilizar a aplicação de realidade aumentada Quivervision, com o objetivo de lhes proporcionar uma experiência envolvente e imersiva, onde puderam observar as suas criações transformadas no estilo de pintores famosos como Van Gogh, Edvard Munch, Pablo Picasso, numa gravura de Katsushika Hokusai, entre outros.

Deste trabalho resultou o ebook que a seguir apresentamos e que reúne todas as narrativas, escritas e visuais, criadas pelos alunos.

Clique sobre a imagem para visualizar ebook

#leituraspartilhadas131

Harry Potter é um dos maiores sucessos da literatura e com motivo. Eu li o primeiro livro da saga Harry Potter e a Pedra Filosofal, da autoria de J. K. Rowling, e posso afirmar que é um livro fantástico.

O livro conta a história de Harry Potter, um órfão criado pelos tios, que descobre, no seu décimo primeiro aniversário, que é um feiticeiro. São narrados os seus primeiros passos na comunidade bruxa, a sua entrada na Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts e o início da sua amizade com Ron Weasley e Hermione Granger, os quais o ajudam a enfrentar Lord Voldemort, Lorde das Trevas e assassino dos pais de Harry, que agora procura um objeto lendário conhecido como a pedra filosofal.

Efetivamente, estimula a criatividade e imaginação, uma vez que todos os acontecimentos ocorrem num mundo mágico de feiticeiros e bruxas. Por exemplo, um momento bastante imaginativo acontece quando o Harry tem de chegar à plataforma nove e três quartos, passando por uma parede que o teleporta para lá, porque a plataforma só existe no mundo mágico.

Além disso, é um livro de leitura fácil, visto que é extremamente cativante e não conseguimos parar de ler. Faz-nos sentir várias emoções e, através da imaginação, leva-nos a esse mundo mágico onde tudo acontece. Por exemplo, uma parte bem intensa, que nos faz ler sem parar, acontece quando o Harry está a jogar o seu primeiro jogo de Quidditch e perde controlo da vassoura quase perdendo o jogo, que acaba por ganhar no fim.

Outra qualidade deste livro são as personagens. Cada uma tem a sua particularidade que a caracteriza o que faz as personagens mais complexas e interessantes e eu considero isso uma qualidade importante. Para exemplificar, a minha personagem preferida é Hermione Granger porque ela é inteligente, sarcástica, trabalhadora e uma ótima amiga. A característica pela qual é conhecida é a inteligência. O Malfoy é o que faz bullying com os outros. A professora McGonagall é a séria. E assim acontece com as outras personagens, fazendo com que nos identifiquemos com elas.

Finalmente, é uma história muito completa com muitas reviravoltas, proporcionando vários momentos inesperados e surpreendentes. Em particular, quando descobrimos que afinal não era o Snape que queria a pedra filosofal, mas Quirrell. Também inclui diversos momentos descritivos o que contribui para a imensidade de detalhes. Por exemplo, sempre que nos apresenta uma personagem nova, a autora dedica um parágrafo exclusivamente para a sua caracterização física e psicológica, contribuindo para uma melhor imagem da mesma.

Por todos estes motivos e mais alguns, tenho várias partes favoritas da história, nomeadamente, a parte onde Gryffindor, a casa do Harry, Ron e Hermione, ganha a Taça das Casas e todos comemoram atirando os seus chapéus de bruxos ao ar.

Para concluir, é um livro criativo, cativante, muito bem escrito, com uma história marcante e personagens inteligentes e divertidas com as quais nos identificamos.

Júlia (9.º ano)

“10 Minutos a Ler” | “O Peixe Arco-Íris”

Este vídeo retrata o trabalho elaborado pelas crianças da educação pré-escolar da Escola Básica de Gemeses, orientadas pela educadora Judite Pereira, no âmbito da iniciativa “10 Minutos a Ler”, promovida pela biblioteca escolar numa parceria com o Plano Nacional de Leitura.

Tendo como ponto de partida o livro “O Peixe Arco-Íris”, de Marcus Pfister, as crianças são levadas a explorar diferentes percursos promotores da construção de aprendizagens e do desenvolvimento de competências, abrangendo, entre outros, o Domínio da Linguagem Oral e Abordagem à Escrita, o Domínio da Educação Física, o Domínio da Educação Artística e Domínio da Matemática), a Área do Conhecimento do Mundo e a Área da Formação Pessoal e Social

Uma atividade onde está bem patente a transversalidade na leitura na exploração de histórias!

“Eu Confiante” – Encontra a tua beleza

Durante este ano letivo foram levadas a cabo, nas aulas de Cidadania e Desenvolvimento das diferentes turmas dos 8.º e 9.º anos, algumas atividades com o tema central a Autoestima. 

As turmas que marcaram presença nestas atividades foram os 8.º H, 8.º I, 9.º D e 9.º F da Escola Básica de Apúlia. 

Foram criados alguns marcadores de livros pelos alunos do 8.º ano e também um teatro, com a participação do 8.º I, apresentado no dia 15 de junho, na Festa Final de Ano, intitulado “Encontra a tua beleza”, com o objetivo de, como diz o próprio título, encontrar a beleza de cada um e, dessa forma, a sua autoestima. O pequeno, mas grande grupo de jovens, conseguiu transmitir, de forma criativa a mensagem de que não é preciso seguirmos nenhum padrão de beleza para sermos bonitos; não precisamos de nenhuma “máscara”, somos todos belos mesmo sendo gordos, magros, negros, brancos, morenos, loiros… A importância está em nós, no que há dentro de cada um. No final, toda a equipa contou com um enorme aplauso pelo trabalho conseguido.

Pudemos contar também com a apresentação de uma árvore decorada na biblioteca escolar com fotos de alguns alunos que se mostram, tentando passar a mensagem de serem confiantes, intitulada com o nome do projeto “Eu Confiante”.

Já as turmas do 9.º ano investiram na criação de cartazes, que foram espalhados por várias portas e quadros da escola, e também a escrita de frases de incentivo nas casas de banho e lavatórios/espelhos comuns, com o objetivo de encorajar e ajudar a encontrar o amor-próprio que cada um deve ter para conseguir viver bem e aceitar-se como é, perfeito!

Houve ainda uma palestra no espaço da biblioteca, para as mesmas turmas, com a colaboração da Psicóloga Vera Areal, intitulada “Autoestima-SPO, EB Apúlia – Vera Areal”, um dos temas que a Psicóloga mais trabalha. A psicóloga procurou mostrar a todos que qualquer um de nós consegue e tem o poder de conquistar a sua autoestima, quer com ajuda ou até sozinhos com recurso a técnicas que a própria ajudaria a explicar.

Com muito esforço e dedicação de todas as turmas, este projeto foi e está a ser concluído, contando que para o ano há mais, para ajudar alunos com baixa autoestima, que não confiam em si próprios. Foi um projeto muito interessante e muito útil para todos os envolvidos!

Mafalda, 9.º ano

#leituraspartilhadas130

O meu nome é Selma” é um livro que suscita no leitor uma mistura de sentimentos; ora revolta contra os opressores, ora compaixão pelas pessoas sujeitas àqueles.
Selma tinha uma família unida, com quem passou a sua infância feliz. No entanto, três pessoas desta família foram levadas e mortas como animais nos campos de concentração. 
Fico chateada por saber que se não fosse pela crueldade do ser humano, a família de Selma e todas as outras famílias que sofreram da guerra poderiam ter vivido uma vida longa com uma morte digna.
Mas, no meio daquela matança, vi amor e esperança de uma rapariga que iria ser conhecida pelos seus atos. Selma ajudava pessoas a fugirem da guerra, salvando a vida de centenas de pessoas. Ela pôs a vida dos outros à frente da sua, o que a  quase levou à morte.
Assim, retiramos desta historia trágica e heroica, a mensagem de que mesmo num período de desumanidade há sempre uma escolha. Esta grande mulher escolheu guiar-se pelos seus princípios e lutar pelos direitos humanos.   

Beatriz (7.ºano)